Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Agência Senado

Senadores declaram apoio a movimentos pela democracia

Por Redação

12 de agosto de 2022 : 07h23

Vários senadores reagiram nesta quinta-feira (11) a cartas e manifestos a favor da democracia. Pelas redes sociais, declararam apoio à Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado democrático de direito, elaborada pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), e  ao manifesto Em Defesa da Democracia e da Justiça, organizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

A carta, que no lançamento já reunia 900 mil assinaturas, foi lida em um ato com a participação de juristas, artistas, políticos e movimentos sociais. O manifesto organizado pela Fiesp, e lançado no mesmo evento, contava com a adesão de mais de cem entidades.

“Não há a menor dúvida de que a solução para os problemas do País passa necessariamente pela presença do Estado de Direito, pelo respeito às instituições e o apoio irrestrito às manifestações pacíficas, à liberdade de expressão e ao processo eleitoral. Desenvolvimento, bem-estar e justiça só prosperam em ambiente de livre pensamento, base da verdadeira pátria livre e soberana”, disse, pelo Twitter, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Data histórica

A data de 11 de agosto é simbólica por ter marcado, em diferentes anos, manifestações populares, inclusive pelo fim da ditadura militar, em 1977. Também marca a data da criação dos cursos de direito no Brasil, em 1827, e por isso ficou conhecida como Dia do Estudante.

“Neste Dia do Estudante, a sociedade brasileira está, mais uma vez, unida nos atos em defesa da democracia. Eu estou onde sempre estive: do lado do Estado Democrático de Direito”, escreveu o senador José Serra (PSDB-SP). Para ele, a luta pela estabilidade é uma batalha constante, prolongada e precisa ser travada a cada nova dificuldade. “É o que estamos atravessando, mais uma vez, neste momento histórico, em que é preciso se organizar para impedir retrocessos e assegurar direitos”.

A senadora Zenaide comemorou a união da população pela causa da liberdade. “Que bonito ver a sociedade brasileira se unindo hoje, Dia do Estudante, em apoio à democracia e contra o autoritarismo que ameaça não reconhecer a vontade popular manifestada nas urnas eletrônicas. Nossa Democracia foi conquistada com muita luta e não abriremos mão dela!”.

Já Fabiano Contarato (PT-ES)afirmou que o dia é de luta. “Grandes nomes da cultura brasileira fizeram a leitura da carta pela democracia. Hoje é dia de mobilização nacional! Vamos à luta em atos realizados em diversas cidades do Brasil. Em tempos de ameaça, seremos resistência!”, declarou em suas redes sociais.

Presidente

Alguns dos senadores se referiram diretamente ao presidente Jair Bolsonaro, em razão de manifestações consideradas antidemocráticas da parte do chefe do governo, que tem questionado a lisura do processo eleitoral. “Hoje é um dia de luta! Um dia de união em defesa do Estado Democrático de Direito! É preciso dar um basta aos constantes ataques à Constituição e às nossas instituições! Bolsonaro sai, democracia fica!”, escreveu Rogério Carvalho (PT-SE).

Cid Gomes (PDT-CE) alertou para a existência de golpistas “Hoje o Brasil fez um alerta em defesa da democracia. Sempre há golpistas e quem queira o retorno a um período de trevas. Mas, nós, brasileiros, resistimos e manteremos a confiança na livre determinação do povo. Viva a democracia!”.

Paulo Rocha (PT-PA), se disse emocionado com os eventos pró-democracia: “O Estado Democrático de Direito é inegociável. Por urnas eletrônicas e um país livre de ditadores. Não é por uma ideologia, é por uma Nação”, publicou o senador.

Em resposta à carta, Flávio Bolsonaro (PL-RJ) disse que o presidente defende a democracia. “A democracia que nós defendemos é a prevista na Constituição Federal. Essa o Presidente Jair Bolsonaro segue à risca!”, disse o senador, que acusou opositores do governo de defender regimes não democráticos. Para ele, a “grande mídia” quer enganar a população.

Resposta da sociedade

Também com a frase contra o presidente ao final da sua manifestação, o líder da minoria, senador Jean Paul Prates (PT-RN) afirmou que a liberdade só pode existir à luz do sol e da democracia e que “as trevas” nunca foram a vocação dos brasileiros.

“A carta é uma resposta da sociedade civil aos arautos das trevas. A democracia brasileira foi uma árdua conquista do nosso povo. Nossa democracia ainda é jovem, incompleta e imperfeita, mas foi fruto de muita luta. Se ainda lutamos, diariamente, para assegurar direitos aos excluídos, é porque queremos ir em frente. Não permitiremos retrocessos!”, advertiu o senador.

Humberto Costa (PT-PE) disse acreditar que o Brasil vai dar um basta aos ataques à democracia e publicou um vídeo das manifestações desta quinta-feira. Ele também destacou a adesão de milhares de policiais e militares à carta da USP.

Assinaturas

Igualmente pelas redes sociais, senadores declaram apoio ao manifesto emitido pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e disseram ter assinado o documento. O senador Eduardo Braga (MDB-AM) fez um vídeo do momento da assinatura e a senadora Nilda Gondim (MDB-PB) disse que o movimento merece não só seu aplauso, mas sua luta.

Simone Tebet (MDB-MS) e Mara Gabrilli (PSDB-SP) informaram ter assinado o manifesto. “Estado de Direito Sempre! No dia do estudante, no histórico dia 11 de agosto, a sociedade levanta sua voz em defesa da democracia. Assinei o manifesto. Tenham certeza do meu compromisso”, afirmou Simone.

Omar Aziz (PSD-AM) se somou aos que declararam ter assinado a carta.“ Hoje, o Brasil está unido na grande mobilização pela defesa da democracia e respeito ao resultado das urnas. Assinei a Carta aos Brasileiros e às Brasileiras, documento histórico, quase 50 anos depois do primeiro manifesto, ainda na ditadura e também no Dia do Estudante”.

Paulo Paim (PT-RS) pediu que os brasileiros se juntem em apoio à carta lançada nesta quinta. “A democracia é um processo constante. Está no fortalecimento das instituições, na soberania do voto, no avanço da participação popular e das diversidades políticas, culturais e sociais, no respeito aos direitos humanos. Assine a carta pela democracia.”, pediu o senador em suas redes.

Para Jaques Wagner (PT-BA), os atos realizados vão marcar a história por unir entidades, juristas, artistas, empresários e estudantes em torno de um mesmo objetivo: a defesa da democracia e do processo eleitoral.

Alessandro Vieira (PSDB-SE) e Angelo Coronel (PSD-BA) falaram sobre a necessidade de evitar retrocessos: “Hoje foi lida, no pátio da Faculdade de Direito da USP, a carta em defesa da democracia, que recebeu mais de 900 mil assinaturas. Ato extremamente importante para reforçar que o Brasil não suporta mais retrocessos. Seguimos na luta pela democracia!”, publicou Alessandro. “Precisamos lutar, seja qual for a sua bandeira ou ideologia, para garantir que a democracia se mantenha forte! Só com respeito, diálogo e debate de ideias, sem agredir quem pensa diferente, conseguiremos avançar, e não retroceder, para uma sociedade mais justa. Democracia sempre!”, escreveu Coronel.

Fonte: Agência Senado

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nunes

12 de agosto de 2022 às 09h46

A doutrinação pela qual passam os brasileiros nas faculdades é vergonhosa, tá aí o resultado.

Responder

Galinzé

12 de agosto de 2022 às 09h44

Mais uma palhaçada dessa e Bolsonaro ganha no primeiro turno….kkkkkkkkkk

Alias…nao dá pra soltar as feminazistoides com sangue e bonecos abortados na rua num dia desses para Bolsonaro ganhar com mais folga ainda…??? Tem jeito ? kkkkkk

Não vão impor mais nada aos brasileiros daqui pra frente, o joguinho quebrou.

Responder

Kleiton

12 de agosto de 2022 às 09h07

Linda a cartinha das Elites para as Elites interpretada pelo grupo de novelas Globo, quase chorei assistindo o jornal nacional ontem….kkkkkkkkk

Os brasileiros não são o que esses canalhas querem e no dia 7 de setembro sai a cartinha dos brasileiros para os Brasileiros.

Responder

Deixe um comentário