Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Divulgação

Sem prestar solidariedade, Bolsonaro chama família de petista assassinado para coletiva de imprensa ao seu lado

Por Redação

12 de julho de 2022 : 19h05

Nesta terça-feira, 12, Jair Bolsonaro ligou para os irmãos do tesoureiro do PT, Marcelo Arruda, assassinado por um bolsonarista no último domingo, 10.

Sem prestar solidariedade a família, o inquilino do Planalto demonstrou que está mais preocupado com o impacto político para o seu governo. A ligação foi intermediada pelo deputado federal Otoni de Paula (MDB-RJ).

Durante a conversa, Bolsonaro chega a chamar os familiares para uma coletiva de imprensa com objetivo de, segundo ele, “mostrar o que aconteceu”.

“A possível vinda de vocês a Brasília, se vocês concordarem, qual é a ideia? É ter uma coletiva para a imprensa que vocês falem o que aconteceu de fato […] Vocês teriam a imprensa na frente de vocês para mostrar o que aconteceu”, disse Bolsonaro.

“Se bem que a imprensa dificilmente vai voltar atrás do que escreveu até agora. Porque grande parte da imprensa tem esse objetivo de desgastar o meu governo”, prossegue.

“Vocês nunca viram eu estimulando qualquer tipo de atrito, apesar de grande parte da imprensa dizer exatamente o contrário”, completa.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

breno souza

13 de julho de 2022 às 00h48

Se eu for na porta da sua casa e te meter bala nós dois seremos idiotas ou só você mesmo?

Responder

    Valeriana

    13 de julho de 2022 às 08h58

    Essa narrativa ja se foi ha muitos dias.

    Responder

Paulo Werneck

13 de julho de 2022 às 00h06

Estou cansado dessa argumentação de que existe polarização, como se vítima e agressor fossem dois polos extremos. É a mesma “polarização” entre caçador e caça, entre arma e alvo.

Onde e quando Lula incentivou violência?

Quando petistas invadiram festas de aniversário para as quais não foram convidados com intenção de matar?

Quantas pessoas de esquerda foram assassinadas por fascistas? Quantas de direita foram assassinadas por esquerdistas?

Quem faz esse tipo de comparação, está justificando a violência fascista sob o argumento falso de que todos estão no mesmo barco.

Não estão.

Responder

Alexandre Neres

12 de julho de 2022 às 23h48

Para o Paulo, para Saladino e para todos os demais que são meras caixas de ressonância da imprensa dita profissional, se tivéssemos na época do Holocausto, estaria havendo uma polarização entre nazistas e judeus!

Responder

Jhonatan

12 de julho de 2022 às 23h05

Se alguém fora da esfera pessoal morre não interessa minimamente a ninguém, mais ainda se tratando de dois completos idiotas que trocaram pedradas e tiros por motivos fúteis.

As pessoas interessam coisa úteis interessantes, se dóis cretinos trocam tiros que se lasquem, quem morre, deixa de morrer ou morrem os dois tanto faz.o resto são falsidade
e oportunismo rasteiro

Responder

Alexandre Neres

12 de julho de 2022 às 20h58

Não se pode esperar que Bolsonero preste solidariedade a quem quer que seja, pois não tem empatia. João Gilberto, Moraes Moreira, Almir Blanc, Tarcísio Meira, Paulo Gustavo morreram sem que o presidente cumprisse seu papel, se bem que prestou condolências excessivas ao MC Reaça.

Quanto a Fanta, Kleiton, Zulu, Querlon, Tony, Efrem Ventura, Valeriana, Galinzé, Dudu, Bandoleiro e vários outros são a mesma pessoa. Um bot, troll, hater, minion, que veio da gringa, não sabe falar português e ainda tem a pachorra de criticar veementemente os brasileiros, além de disseminar o ódio e de não respeitar uma família enlutada pelo assassinato do guarda municipal Marcelo Arruda por um imbecil fanático que nem ele que chegou na festa de aniversário cujo tema era Lula aos berros de “aqui é Bolsonaro” e cumpriu a profecia do falso Messias.

Responder

Jorge Fernandes

12 de julho de 2022 às 20h42

Os irmãos da vítima são bolsonaristas.

O terrorista e assassino ia ao clube todas as terças e sextas o que fez na sexta anterior ao assassinato e ficou sabendo do tema da festa

Foi ao clube no sábado, armado e com a clara intenção de assassinar todos.

Crime brutal, torpe, premeditado e imaginava, sem possibilidade de defesa.

Responder

Paulo

12 de julho de 2022 às 20h29

Bolsonaro perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado. O que aconteceu é um fato isolado (nesse nível de insanidade), mas o Capetão colabora para esse clima, assim como Lula, pois a ambos interessa a polarização…ou a exploram politicamente, quando menos…o resto é consequência…

Responder

Fanta

12 de julho de 2022 às 20h22

As pessoas tem nome, por qual motivo chamar um sujeito de “petista” ?

Parece uma tentativa de ofender…

Responder

Kleiton

12 de julho de 2022 às 19h42

Tacar uma pedra em outra pessoa a 2 metros de distância é clara tentativa de homicídio, se pegar na cabeça mata.

O resto da história a gente conhece.

Responder

Helio Hanel

12 de julho de 2022 às 19h37

Sá faltava essa… proposta indecorosa do maior psicopata… Lamentável!

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina