Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Foto: Ricardo Stuckert

DataFolha: Lula vai a 50% dos votos válidos e vence no 1° turno

Por Gabriel Barbosa

22 de setembro de 2022 : 20h55

Pesquisa DataFolha divulgada na noite desta quinta-feira, 22, revela que o ex-presidente Lula (PT) venceria o pleito já no 1° turno. Segundo o levantamento, Lula chegou a 50% dos votos válidos. Vale lembrar que neste cenário, o ex-presidente precisaria de apenas mais um voto para liquidar a fatura.

Como a margem de erro da pesquisa é de dois pontos, Lula teria entre 48% e 52% das intenções de voto. Por sua vez, Jair Bolsonaro (PL) registra 35% dos votos válidos e deixaria o Planal no próximo dia 31 de dezembro.

Nos votos totais, Lula subiu de 45% para 47% enquanto que Bolsonaro ficou estagnado em 33%. Na terceira colocação, Ciro Gomes (PDT) caiu de 8% para 7% e se vê empatado com Simone Tebet (MDB) que manteve os 5%. Soraya Thronicke (União Brasil) oscilou de 2% para 1%. Branco/Nulo 4% e Indecisos, 2%.

O DataFolha ouviu 6754 eleitores de 343 municípios de todas as regiões do Brasil. A margem de erro é de dois pontos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa encomendada pela Folha e pela TV Globo está registrada sob o número BR-04180/2022 no Tribunal Superior Eleitoral.

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Pós-graduando em Comunicação e Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alexandre Neres

22 de setembro de 2022 às 22h51

Andressa, na língua portuguesa cu não tem acento. Vá caçar outro país pra trollar porque no Brasil acabou a farra.

Quanto aos números, estão excelentes. Mas não ganhamos nada ainda, temos que agir como se estivéssemos perdendo. Temos que comer muito feijão para conseguir liquidar a fatura no primeiro turno e não dar sopa pro azar, pois esse intervalo entre os dois turnos seria um período violento e perigoso.

Nem com todo o apoio da CIA e do FBI, conseguiram encontrar um batom na cueca do Lula. E olha que esquadrinharam tudo. Lula recebeu um tratamento que nunca foi dispensado a qualquer presidente brasileiro, com certeza por causa de sua origem popular. Bolsonaro deita e rola e ninguém faz nada, pois sabe-se que tem gente de alto coturno e de quatro costados por trás dele.

Eu discordo do meu amigo Tiago Silva por achar que Alckmin foi um excelente vice para Lula em razão das circunstâncias atuais, não por causa dos votos que trouxe, mas pela governabilidade e porque precisávamos avançar em outros segmentos da sociedade, não poderíamos ficar restritos ao campo da esquerda, para derrotar o boçal-ignaro. Essas eleições são as mais difíceis e as mais importantes da Nova República. Se perdermos, não haverá país nenhum.

Concordo com o Tiago Silva que Alckmin não é o vice ideal, está muito longe do perfil que precisávamos para combater nossas mazelas históricas, com o escopo de acabar com a miséria, sairmos do mapa da fome novamente e sobretudo reduzir nossa desigualdade social ingente. Mas considero Alckmin um parceiro leal e correto, em quem se pode confiar e celebrar acordos, ainda que do campo oposto.

O que mais me surpreende é este ódio ao Lula que vemos aqui no blogue. Diante da barbárie que vivemos nos últimos 4 anos, Marina, Cristóvam Buarque, César Maia, Aloysio Nunes Ferreira, FHC e tantos outros viram que Lula é nossa única possibilidade de derrotar Salnorabo. O governo de Lula será um tremendo feijão com arroz, por isso não entendo essa obsessão, que é um sintoma do quanto nosso país é retrógrado, todos morremos de medo de perder nossos privilégios, somos reféns da falta de projeto da elite do atraso que só quer acumular e esfolar os desvalidos.

Decerto, tanto eu quanto o Tiago Silva desejaríamos um governo que avançasse muito mais, o que será muito difícil nas circunstâncias e condições atuais. A única coisa que podemos fazer nesse sentido é trabalhar para que Lula vença no primeiro turno, senão terá que ceder ainda mais. Os mervais da vida querem ver um Lula domesticado, tal qual um cão desdentado, eleito no segundo turno para tocar adiante as reformas neoliberais que tanto almejam.

Responder

Saulo

22 de setembro de 2022 às 22h08

Lula vai tomar no cú e voltar no colo do Fachin e Lewandowski em breve….kkkkkkk

Responder

Zulu

22 de setembro de 2022 às 22h07

Viver de idiotices tem algum fim, alguma utilidade ?

https://fb.watch/fILGq0vSUF/
https://fb.watch/fILQa777yr/

As cenas com Bolsonaro andando em qualquer canto do Brasil são as mesmas de 2018, idênticas.

Quem grava isso é um militar cara com celular de qualquer jeito, nada de Stuckert da vida tirando fotos e gravando vídeos profissionais para encher a tela de pessoas ou colher a imagem de impacto entre as 3625283 fotos tiradas.

Responder

    Sobservando Mundoreal

    23 de setembro de 2022 às 10h39

    Belém, capital do estado do Pará tem mais de 1,5 milhão de habitantes e mais de 1 milhão de eleitores e o presidente da república a visita em plena tarde de uma quinta-feira útil, quando deveria estar trabalhando, conforme previsto nas regras eleitorais do TSE que veda campanha durante o expediente de candidato a reeleição de cargo no executivo, com todo o aparato presidencial que isso requer e significa, e não consegue reunir mais de 50 mil pessoas para seu comício, após passeio de motos pelas ruas da cidade.

    Não basta já viver no mundo paralelo da ‘terra plana’, o espirocado tem que chamar isso de ‘datapovo’, quando é mico do Mico, na veia, basta conferir o semblante do dito Mico apavorado com o fim da festa da mediocridade em 02 de outubro, para deixar de ser, além de adestrado ruminante replicante, otário remido.

    Responder

Deixe um comentário