Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Em plena CPI, empresário bolsonarista defende práticas negacionistas

Por Gabriel Barbosa

30 de setembro de 2021 : 14h24

No seu depoimento a CPI da Pandemia, o empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, fez a defesa de práticas negacionistas e atacou as vacinas, o uso de máscaras e fez discurso a favor de medicamentos do chamado “tratamento precoce” contra a Covid-19, método comprovadamente ineficaz contra o vírus.

Segundo ele, sua família e amigos receberam o tratamento precoce e “ninguém” chegou a ser internado. Mas para mascarar seu negacionismo, ele disse que se tratava apenas de uma “opinião”.

Fakhoury também assumiu na comissão que não se vacinou. Ele foi o único dos depoentes negacionistas que defendeu abertamente sua posição contra as vacinas e também que a imunização não tem que ser obrigatória.

“As vacinas têm que ser adquiridas e oferecidas pelo governo, porém ainda hoje se encontram em estágio experimental. A minha posição é que elas não devem ser obrigatórias. Aguardo o término dos testes para decidir se imunizo minha família ou não”.

Após a sua fala, o vice-presidente Randolfe Rodrigues (Rede-AP) esclareceu ao depoente que “quando a liberdade de opinião atinge a saúde pública, não é mais opinião. É crime”.

Já o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que o empresário bolsonarista estava se auto-incriminando, por ignorar o artigo 268 do Código Penal, que prevê infrações de medidas sanitárias para evitar a propagação de doença contagiosa como a Covid-19.

Assista a sessão na íntegra!

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

30 de setembro de 2021 às 21h53

A pós-verdade bolsonarista encontra supedâneo na pós-verdade petista (e vice-versa)…Não há como evoluir, politicamente, com esse viés…

Responder

Ronei

30 de setembro de 2021 às 17h31

Adoramos quando esse gado defende essas ideias nazistas, ótimo cabo eleitoral contra o bozo.

Que continuem!

Responder

William

30 de setembro de 2021 às 15h42

Os próprios componentes dessa CPI sabem muito bem que se trata de uma palhaçada, de um circo, de uma perda de tempo ao qual devem participar.

Responder

Tony

30 de setembro de 2021 às 15h19

Já o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que o empresário bolsonarista estava se auto-incriminando, por ignorar o artigo 268 do Código Penal, que prevê infrações de medidas sanitárias para evitar a propagação de doença contagiosa como a Covid-19.

Alguma mente Renaniana consegue explicar essa besteira de proporções bíblicas ?

Responder

Tony

30 de setembro de 2021 às 15h14

“…quando a liberdade de opinião atinge a saúde pública, não é mais opinião. É crime”.

Alguma mente Randolfiana consegue explicar essa besteira ?

Responder

Marco Vitis

30 de setembro de 2021 às 14h48

Avalio que Otávio Fakhoury é um nazifascista milionário que usa sua fortuna pra eliminar o Estado Democrático de Direito. É um criminoso confesso que merece dezenas de anos na CADEIA.

Responder

Deixe um comentário