Paris Café: O que esperar da classe média para 2022?

Aprovação de Bolsonaro é cada vez mais concentrada entre eleitores menos instruídos, mostra pesquisa

Por Redação

04 de março de 2021 : 10h00

Na noite desta quarta, 3, foi divulgada a pesquisa PoderData que mostra a tendência de alta na rejeição ao presidente Jair Bolsonaro. Cerca de 51% desaprovam seu governo, mas enquanto isso outros 40% do eleitorado ainda acreditam que Bolsonaro merece aprovação. Outros 9% não souberam responder.

Fonte: PoderData

No que diz respeito a base eleitoral, Bolsonaro ainda consegue manter um terço do eleitorado ao seu lado. São 31% que avaliam o presidente como ótimo/bom, mas outros 47% consideram Bolsonaro ruim/péssimo. O nível de regular não oscilou e manteve nos 18%. Já 4% não sabem.

Fonte: DataPoder

Entre eleitores com ensino médio e/ou superior, a aprovação de Bolsonaro caiu abruptamente. Enquanto ele tem 37% de ótimo/bom entre eleitores com instrução até o ensino fundamental, esse percentual cai para 28% e 22%, respectivamente, para eleitores com ensino médio e superior.

Fonte: PoderData

Isso para falar apenas em aprovação. Quando se olha para a nota ruim/péssimo, a deterioração do prestigio de Bolsonaro entre os eleitores mais instruídos fica mais evidente. Entre eleitores com ensino médio e superior, 44% e 62% consideram o trabalho de Bolsonaro como ruim/péssimo.

Essa perda de prestígio na classe média é um golpe duro em Bolsonaro, porque seu governo tenta estabelecer sua comunicação da forma mais direta possível com a população, via redes sociais, onde a classe média detêm forte hegemonia.

O DataPoder realizou 2.500 entrevistas entre os dias 1 a 3 de março com margem de erro de dois pontos porcentuais para mais ou menos e índice de confiança de 95%.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

B-Max

05 de março de 2021 às 09h36

O antigo eleitorado cativo do PT, aqueles q votavam em troca de cesta básica.

Responder

Paulo

04 de março de 2021 às 22h16

Com esses números, corremos dois riscos: Bolsonaro se reeleger; não se reeleger e dar um golpe…Quem avisa amigo é: melhor tirar antes. A classe política atual – uma das piores, senão a pior, da história – terá uma decisão difícil pela frente, principalmente por serem, na maioria, corruptos que querem mamar antes de agir…

Responder

Gilmar Tranquilão

04 de março de 2021 às 15h13

Fala logo que é um monte de burro kkkkkk

Responder

Valeriana

04 de março de 2021 às 13h25

Com essa oposiçào Bolsonaro se elege no primeiro turno em 2022.

Responder

EdsonLuiz.

04 de março de 2021 às 12h48

Eu queria poder ser otimista com estes números, mas eles só me assustam.

Por estes números, bolsonaro tem hoje uma aceitação firme de 40% (31 + 9). E ainda pode colher alguma coisa entre os 4%”não sabem” e, entre os 47%”ruim/péssimo”, colher muita coisa dentro do “ruim” e mesmo alguma coisa dentro do “péssimo”, votos de parte desse grupo de rejeição, mas que rejeitam ainda mais o eventual adversário, seja o adversário Ciro, Haddad ou outro.
E quanto maior a rejeição do eventual adversário, mais bolsonaro colhe, mesmo entre os que rejeitam ele também.

Com estes números o gárgula vence 2022.

Vamos ver o tamanho do desgaste que a diminuição do valor do auxílio agora e principalmente o fim definitivo do auxílio mais à frente vai provocar nessa popularidade dele. E tudo sempre depende também bastante do desempenho da economia e da conjuntura econômica mundial, que podem mudar o quadro atual.

E fico torcendo para que o Marcelo Freixo e o PSOL, que são quem eu estou vendo se empenharem em tentar uma composição mais ampla para enfrentar o gárgula, certamente por estarem mais preocupados com a realidade ameaçadora e mais conscientes do risco que significa dar oportunidade para que essa realidade se ossifique à frente, consigam um mínimo de entendimento entre os democratas para não corrermos o risco de calcificar o mal.

Boa sorte na sua missão, Marcelo Freixo.

E que dirigentes e apoiadores dos outros Partidos, sejam partidos mais à esquerda ou mais à direita, analisem de modo mais realista e menos assodados o nosso momento institucional delicado e a ameaça que paira sobre a nossa democracia.

Responder

    Gercino lima

    05 de março de 2021 às 22h17

    Sinceramente do jeito que vai nem a união de todos os partidos em torno de uma candidatura. Vai fazer frente a Bolsonaro em 2022. Porque até agora nada que foi tentando abalou muito a credibilidade do Bolsonaro. E pra ser justo o Bolsonaro tá arrumando a casa . Portos ferrovias estradas aeroportos acabou com o desperdício de dinheiro público. O que tem atrapalhado foi a covid 19. Por outro lado Bolsonaro está se saindo muito bem. Já que o STF limitou o seu poder Os governadores estão se queimando com a população. Enquanto Bolsonaro fica do lado do povo. E o Brasil pós pandemia tem tudo pra sair da crise rapidinho.tudo vai depender de até onde vai está pandemia. Se continuar até 2022 . Bolsonaro que não fechou comércio e nem acabou com emprego de ninguém. Os governantes e prefeito leva a culpa. Caso a pandemia acaba ainda este ano. A economia entra no eixo Bolsonaro dispara. . E uma missão quase impossível ganhar de Bolsonaro em 2022. A não ser que rola uma fraude.!!

    Responder

      EdsonLuiz.

      06 de março de 2021 às 12h58

      A minha e a sua opinião sobre bolsonaro são completamente diferentes. Quem dera eu conseguisse levar você a uma reflexão que mudasse sua opinião atual sobre bolsonaro. Também em relação à opinião de petistas sobre o Lula eu gostaria de mudar. Pura presunção minha. O que tenho que fazer é respeitar a sua opinião, e respeitar a opinião deles também. Só quando nos agridem ou são mentirosos ou abusados não cabe nenhum respeito, e você é bolsonarista, mas é educado.

      Abraço, Gercino

      Responder

Deixe uma resposta