Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Agência Senado

Autor do pedido de impeachment contra Dilma declara voto em Lula no 1° turno

Por Redação

21 de setembro de 2022 : 17h45

Nesta quarta-feira, 21, o jurista Miguel Reale Jr., um dos autores do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), declarou seu voto a candidatura do ex-presidente Lula (PT) já no primeiro turno.

Vale lembrar que Reale Jr. defendia uma candidatura de “terceira via”, mas reconheceu que esse campo não tem perspectiva eleitoral e reforçou a importância de eleger o petista no dia 2 de outubro.

“Sem perspectiva de vitória da terceira via, é importante que Lula vença no primeiro turno, para se impedir ação desesperada de Bolsonaro”, disse o jurista ao Estadão.

“Decidir por Lula é consequência de saber que assim se evitará ataques à democracia, à dignidade da pessoa humana e ao meio ambiente, que, com certeza, sucederão com maior intensidade em novo mandato de Bolsonaro”, completou.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuíz.

21 de setembro de 2022 às 20h09

Vamos esquecer essa conversa de pedaladas para ver se essa gente corrupta deixa de enganação.

Vamos falar de coisas ainda mais graves, bem mais graves, que pedaladas :

▪O governo PT levou a um crescimento econômico entre 2007 a 2016 de 0,2% ao ano, em média.
▪A queda da economia acumulada entre 2014 e 2016 foi maior que 8%. Só em 2014 e 2015 foi maior que 3% em cada ano.
▪Em 2014 houve mês em que o tesouro não tinha dinheiro para repassar à Caixa Econômica e o pagamento do Programa Bolsa-Escola* teve que ser sacado a descoberto no Banco Público**

*Bolsa-Família, na versão enganadora do PT e, agora, *Bolsa “Auxílio-Brasil”, na versão enganadora de bolsonaro;
**É crime o Banco, qualquer banco, emprestar recursos para o próprio controlador.

Vamos falar claro sobre o que levou ao impeachtment da presidenta Dilma:

▪O governo de Dilma*, para esconder os buracos nas contas do tesouro, FALSIFICOU o Orçamento Público e assim mascarar o “BuracoPT” nas contas.
▪Isso, o “BuracoPT” foi cavado a partir do governo Lula2 e aprofundado nos governos Dilma/Temer1 e 2.
▪Esses crimes, tragédias econômicas e perda de apoio popular e parlamentar foram o que levaram ao impeachtment da Dilma.

Sem enganação PT e petistas. Por causa de vocês o povo ficou e ainda está desempregado, comendo sopa de osso e pele de frango, passando fome…e ainda está tendo que engolir jair bolsonaro.

Com o PT, com o granndeeee trabalho conjunto de Lula e Dilma, o Brasil viveu a MAIOR recessão econômica de sua história. Estamos com as consequências desastrosas do “BuracoPT” até hoje.

Fora Lula!
Fora bolsonaro!

Edson Luiz Pianca.

Responder

Paulo

21 de setembro de 2022 às 19h14

Mais um que se alckimizou…

Responder

Alexandre Neres

21 de setembro de 2022 às 18h19

Olha a onda! Eis o que é noticiado na Coluna Radar da Veja que não pode ser tachada de petista ou de comunista:

“O Ministério Público Federal arquivou o inquérito civil contra o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, do governo de Dilma Rousseff. Ele foi investigados sobre irregularidades nas operações de crédito entre Tesouro e o Banco do Brasil, que teriam sido cometidas em 2015. As ‘pedaladas fiscais’ serviram de base para a maioria dos senadores aprovar o impeachment da ex-presidente há seis anos.

‘A verdade veio à tona’, disse Dilma Rousseff, também investigada pela Procuradoria da República no Distrito Federal em inquérito civil que buscava identificar os responsáveis pelas ‘pedaladas fiscais’, considerada pelos investigadores como um ato de improbidade administrativa. ‘Demorou, mas a Justiça está sendo feita’, acrescentou a ex-presidente.

As chamadas ‘pedaladas fiscais’ são os atrasos de repasses ao BNDES, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil para cumprir o pagamento de benefícios sociais. Em agosto de 2016, o Senado condenou Dilma à perda do cargo de presidente, por considerar que as ‘pedaladas fiscais’ feriram a Lei de Responsabilidade Fiscal.”

Nada como um dia após o outro.

Responder

Deixe um comentário